The Brain Hack

Março 7, 2015 22:08
Mais curtas
354
Views
   

Uma curta alucinante com o seu próprio ritmo de descobertas, onde um estudante de cinema é persuadido por um rapaz que conhece na sala de aula a entrar numa aventura um pouco incomum:

Descobrir um atalho no cérebro que nos permita ver Deus.

Joseph White, é a mente brilhante por detrás desta curta de Sci-Fi. Não só a escreveu, como a realizou e editou. The Brain Hack é a sua segunda curta, sendo Turn, realizada em 2004 a sua estreia nesta área e com a qual ganhou o prémio NAHEMI/KODAK de melhor Realização Criativa. No seu currículo aparece uma participação num filme excelente, 007: Skyfall, onde trabalhou no departamento de efeitos especiais, em 2012. Incluí uma excelente interpretação por parte de Edward Franklin, participou na série televisiva Being Human e Alexander Owen que teve um pequeno papel na série Midsomer Murders.

Lançada há relativamente pouco tempo, já conta com três prémios ganhos. Melhor curta, melhor Banda-Sonora e melhor actor, todos ganhos no British Horror Film Festival. Fez parte da seleção oficial de cerca de sete festivais, entre os quais estão nomes como London Sci-Fi Film Festival e o Los Angeles Short Film Festival. Mereceu também uma Menção Honrosa no Miami International Science Fiction Film Festival.

The Brain Hack explora, uma vertente mais religiosa da capacidade cerebral de uma pessoa. Esta curta começa com um aviso. Pessoas que tenham epilepsia, cuidado, a curta usufrui bastante de jogos de luzes e de flashes de imagens. A história é contada em forma de um quase documentário, Fallon, um estudante de Ciências de Computação “esbarra” com Harper, um aspirante a cineasta. Fallon faz uma proposta irrecusável a Harper, o que qualquer realizador deseja, criar o melhor filme alguma vez feito. Fallon começa por explicar a sua pesquisa a Harper dizendo que descobriu que em determinada circunstância, seremos capazes de ver Deus, através de um pequeno atalho feito no cérebro por um estado alucinogénico criado por um certo filme, que terão que realizar. E é aqui que os problemas começam, Fallon e Harper começam a ser perseguidos por uma ordem religiosa que quer acabar com o seu objectivo.

Durante os cerca de 20 minutos que a curta tem, esta consegue meter o espectador no mesmo barco que os personagens e fazer com que sintamos com eles as suas vitórias e os seus fracassos. Com uma belíssima reviravolta final e um pequeno presente no fim, The Brain Hack surpreende com a sua carga de informação e energia que é carregada durante a curta toda até aos seus últimos segundos.

Será que é mesmo possível ver Deus? Vejam e descubram.

Débora Martins
Sobre o autor do artigo
- Cozinheira amadora a tirar licenciatura em Cinema. Amante de qualquer género de arte e criadora da filosofia do Hoje é amanhã.