Le Maison en Petits Cubes (The House of Small Cubes)

Novembro 30, 2015 02:31
Mais curtas
0
Views
   

“12 minutes. 12 f****** minutes. Holy f****** crap. The things you can do in only 12 minutes is amazing.” TSBR

“Submerging in a house of memories…. “ Paradox Spiral

O que acabei de citar, foram, nada mais, nada menos, do que comentários no youtube, comentários estes que me fizeram imediatamente ver esta maravilhosa curta.

12 minutos, é só isso que é preciso, não precisamos de 26 episódios nem 13. Só foi preciso 12 minutos para termos um dos mais absorventes, provocantes, melancólicos, agridoces bonitos e calmos (todos ao mesmo tempo) momentos das nossas vidas. Le Maison en Petits Cubes ( The House of Small Cubes) é a prova disso.

Esta anime (sim é uma anime) ganhou um Oscar em 2009 de Best Animated Short film, fala sobre um homem idoso que constroi níveis adicionais na sua casa de maneira a escapar da água que inundou a sua cidade. Enquanto ele anda pelos andares submersos de água à procura do seu cachimbo, ele mesmo é inundado por memórias passadas da sua vida e como a eternidade da sua continuação do tempo encheu a sua jornada com pintas de felicidade e com indícios de tristeza.

Com menos de um quarto de hora de filme, não há muita história. Mas menos história não quer dizer menos conteúdo. Com o exemplo de um idoso, eles põem-nos numa espiral de memórias e obrigam-nos a reviver o passado, pondo-nos questões que já pensamos, mas nunca respondemos. Se contemplasse-mos a nossa vida agora, quais seria os momentos que levaríamos para a morte? Qual seria os nossos momentos definitivos? Se desaparecêssemos hoje, estaria lá alguém para chorar por nós?

Como podem ver, o filme tem muito conteúdo apenas com uma personagem e sem vozes. 12 Minutos, sem vozes, têm uma fantástica combinação de violino e piano que vos vai encantar cada segundo. Por vezes também temos uma guitarra acústica para dar emoção a uma anime já sentimental. Podemos desligar o monitor, fechar os olhos e ouvir a curta, ainda assim dava-lhe uma boa nota.

E funciona das duas maneira, desliguem as colunas, ou os fones, ponham mute no youtube, vejam sem som que ainda dá para perceber, há muitos detalhes na animação, gostei bastante do que vi. Claro que para mim era impossível vê-la sem som, até porque prestei bastante atenção aos seus detalhes e não posso deixar de os salientar: as ambiências do mar dão-nos detalhes do local onde se passa a ação, mesmo antes de o vermos; os pequenos passos, movimentos e até o facto de o senhor submergir, leva o som a mudar completamente para um mundo debaixo de água.

Vasco Silva
Sobre o autor do artigo
- Fanático por Som e por Videojogos, neste momento a estudar Cinema na Universidade da Beira Interior. Com um tipo de escrita peculiar e adora criticar a sonoridade de curtas e filmes.