Call Back

Junho 17, 2014 14:31
Mais curtas
581
Views
   

Call Back é um suspense de ficção científica que promete cortar a respiração.
Esta curta foi seleccionada para o San Jose Short Film Festival e tem recebido muito boas críticas.

Os realizadores – Rani Naamani e Carlos F. Puertolas – trabalham a tempo inteiro como animadores cinematográficos e realizaram esta curta nos seus tempos livres com um orçamento muito pequeno. Call Back foi filmado em apenas 4 dias e teve um período de pós-produção de quase 6 meses.

Esta curta metragem começa com a imagem de um homem, Chris, sentado numa cama com os cadáveres de sua mulher e respectivo amante ao seu lado. A cara do personagem demonstra arrependimento e choque pelo que se presume que acabou de fazer, como que se quisesse voltar atrás no tempo. Essa oportunidade é-lhe dada por um anónimo que lhe faz uma chamada para o telefone do hotel e para o seu telemóvel.
Este personagem anónimo dá a Chris a oportunidade de desfazer todo o mal feito. Para isso precisa apenas de injetar uma seringa contida numa pequena caixa. Chris está a início relutante, mas quando a polícia chega ao local, a personagem sente-se pressionado e num ato de desespero injecta a seringa no braço.
Chris é transportado para minutos antes de ter morto a sua mulher e o amante. Este bate à porta do quarto, ainda incrédulo, e vê a sua mulher e seu amante ainda vivos. Chris retira-se e recebe outra chamada do personagem anónimo, dizendo que iria precisar de mais doses. No entanto, Chris está confuso e começa a correr enquanto, aos poucos, volta à situação em que inicialmente se encontrava, coberto de sangue e com a polícia a bater à porta.

O ponto forte desta curta é sem dúvida a imagem. Durante as cenas do quarto, Call Back tem uma imagem forte e pesada que nos faz sentir na própria pele, de modo vívido, a angústia e desespero de Chris. Temos também os pequenos detalhes tal como o momento em que o personagem injecta a seringa que são também de grande qualidade. Quase nos faz duvidar do pequeno orçamento e do material de baixa qualidade usado.

Todos nós passamos por maus momentos na vida dos quais nos arrependemos. Muitos desejam uma oportunidade de os mudar, ou até mesmo de os apagar. Mas o que realmente faríamos no momento em que recebêssemos essa oportunidade? Será que a aproveitávamos ou seria algo tão difícil de acreditar que apenas ficaríamos confusos, acabando por desperdiçar, tal como Chris?

Os realizadores demonstraram vontade de realizar uma longa-metragem a partir desta curta. Só nos resta esperar que seja realizada com a mesma grande qualidade de Call Back, que certamente será difícil de esquecer.

Simão da Silva
Sobre o autor do artigo
- Estudante de Engenharia Informática na Universidade do Minho com um grande interesse pela sétima arte e muitas horas de cinema assistidas.